Conselho Pastoral Paroquial

Presidente:

Padre Vasco António da Cruz Gonçalves

Representantes dos Movimentos/Grupos Paroquiais:

Irmã Rosa (São João Bosco/Catequese)

Irmã Aldina (Catequese)

Chefe Andrea (Escuteiros)

Chefe Cordeiro (Escuteiros)

Manuela Viana (Conferência Vicentina)

Belmiro Rodrigues (Caminho Neocatecumenal)

Carlos Lopes (Sacristia/colaboração Grupo Coral)

Fernanda Valadares (Acolhimento Paroquial)

Ricardo Oliveira (Acolhimento Paroquial/Grupo Coral)

Helena Anjos (Grupo Solidário)

António Pires (Conselho para os Assuntos Económicos/Confraria Senhora d’Agonia)

José Vieira (Apostolado do Mar)

Maria José (Apostolado do Mar)

Joaquim Castro (Pedra Angular)

Pedro Castro (Site Paroquial)

Alice Oliveira (Página do Facebook)

Ricardo Fernandes (Colégio do Minho)

Pe. Tiago Barbosa (Espiritanos)

Francisca Amaral (Guias de Portugal)

Teresa Queijo (Oficinas de Oração)

Lola Cruz (Núcleo da Pastoral da Saúde)

Diogo Fernandes (Grupo de Jovens)

Manuel Fiúza (Movimento dos Cursilhistas)
1 - Unir e Despertar para a Missão

A primeira função do Conselho Pastoral Paroquial, a sua missão primordial, é ser instrumento e auxílio do pároco (delegado pelo bispo) para melhor anunciar a Boa Nova e dar a conhecer Jesus Cristo a todos.

2 - Sincronizar e Sintonizar

A segunda função é superar as falhas de comunicação e gerar a confiança na comunidade. É lugar para unir esforços e integrar a diversidade da comunidade, para sintonizar visões, vontades, anseios, acções, memórias. Mas sintonização não é uniformização de vivências de cada um. Nem maior comunicação implica mais discussões e conflitos. Pelo contrário, o Conselho Pastoral Paroquial é o espaço ideal para a partilha de experiências e conhecimentos e, sobretudo, para a escuta do outro, para estimular a vida em comunidade e a comunicação. Assim se gera a comunhão e a confiança.

3- Ver os Sinais

A terceira função é na ajuda ao pároco na análise da realidade em que a paróquia está inserida, assinalando em todos as áreas pastorais - da catequese à liturgia, da acção social ao agrupamento de escuteiros, etc. - quais as necessidades pastorais que requerem mais atenção.

4 - Coordenar e Planear

A quarta função é a existência de um plano e de objectivos concretos é essencial numa comunidade paroquial. Cabe ao Conselho Pastoral criar esse plano e objectivos, relacionando-os com a sua realidade, com as necessidades, com os tempos próprios de cada local e tendo em conta os meios materiais e humanos que existem.

5 - Alegre Compromisso

A quinta função orienta os membros do Conselho Pastoral para o compromisso com fidelidade, com alegria e com motivação de servir a Glória de Deus é Quem faz crescer a semente.

6 - Anunciar e Viver a Comunhão

A sexta função é uma missão de todo o cristão, mas para os representantes do Conselho Pastoral, como "motores" da paróquia, é mais preponderante ainda.

7 - Avaliar

Em média, o Conselho Pastoral Paroquial reúne três vezes por ano pastoral (normalmente de Setembro a Julho). Se na primeira reunião do ano é preponderante sintonizar, preparar, planear e coordenar, como foi referido anteriormente, nas reuniões seguintes é necessário rever as acções pastorais realizadas para avaliar e tomar nota daquilo que deve ser melhorado, corrigido, mantido ou eliminado. Certamente que o bom senso tem de imperar e as críticas funcionam melhor se forem construtivas e fundamentadas. Não se deverá esquecer, no entanto, que cada um dos representantes no Conselho Pastoral não poderá ter a pretensão de substituir aqueles que representa.